Setor de HPC fecha 2021 com queda de 2,8% nas vendas

Inflação e os aumentos de custos enfrentados pela indústria, ao longo dos últimos 12 meses, refletem na performance negativa do setor

O setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (HPC) registrou queda de 2,8% em vendas ex-factory de janeiro a dezembro de 2021, em relação ao mesmo período de 2020, quando o setor apresentou desempenho positivo de 5,8%. Para a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec), os dados mostram que, em linha com os resultados abaixo da expectativa do 1º semestre de 2021, o setor seguiu enfrentando desafios ao longo do ano.

O segmento de Higiene Pessoal foi o principal destaque e, graças aos bons resultados, impediu que o cenário fosse ainda mais negativo para o setor. O segmento apresentou crescimento de 4,7% em vendas ex-factory, em comparação com o ano anterior, indicando uma intensificação dos hábitos de cuidados pessoais, que foram reforçados para combater a Covid-19. Já os segmentos de Cosméticos (-15,4%), Perfumaria (-2%) e Tissue (-9,4%) registraram quedas expressivas em relação ao mesmo período de 2020.

O avanço da vacinação e a flexibilização das restrições de isolamento social também refletiram nas mudanças de hábitos de consumo dos brasileiros e impactaram no desempenho do setor em 2021. Entre os produtos com melhor performance estão os Sabonetes, com crescimento de 9,7%, em relação a 2020. O Sabonete em Barra segue sendo o maior mercado, com 80% de fatia de vendas, enquanto o Sabonete Líquido, um dos símbolos do combate a Covid-19, ganhou mais popularidade.

Os protagonistas do setor de HPC em 2021 foram os produtos relacionados ao banho de forma geral. Os consumidores brasileiros seguem investindo, por exemplo, em cuidados com os cabelos. A categoria de xampus se manteve em estabilidade, com alta de menos de 1%. Já a categoria de produtos para tratamento capilar teve crescimento de 5,8% nas vendas em 2021.