Uso de máscaras não impede crescimento nas vendas de batons

A venda do produto disparou 200%, e a receita cresceu 58%, em São Paulo, durante a pandemia .

A busca por produtos para quem se preocupa com a aparência não foi confinada com a o isolamento social.

Em São Paulo, o faturamento do comércio eletrônico de cosméticos cresceu 80% no período de 1 a 14 de junho em comparação com o mesmo período do ano passado, segundo estudo feito pela agência Corebiz.

A venda de cosméticos em geral no e-commerce de São Paulo aumentou durante a pandemia, mas a comercialização de batons disparou: houve alta de 200%, levando ao crescimento de 58% da receita, mesmo com a diminuição do valor do produto e com a utilização de máscaras para impedir a contaminação pelo novo Coronavírus — o que poderia inibir o uso do produto para lábios.

No País, a alta da receita foi de 29%. A venda de produtos para a pele, os dermocosméticos, também apresentou movimento ascendente, levando a receita a ter alta de 144% em São Paulo, e de 128% quando se considera todo o País. Mesmo com a quarentena, a vaidade continua circulando normalmente pelo país.

Ainda de acordo com o levantamento, o isolamento social também parece ter impulsionado a busca por produtos de cuidados com a pele (hidratantes, séruns, tônicos etc.), com um aumento médio de 144% de 1º de março a 14 de junho.

Em todo o País, o comércio eletrônico de cosméticos registrou alta de 68% em receita na comparação com o mesmo período de 2019. Como em São Paulo, no país, junho também está apresentando o maior crescimento em relação ao ano passado, resultado principalmente do aumento de 56% no tráfego e de 22% no valor dos pedidos.