Economia aponta tendências para o setor

Perfumarias precisam estar preparadas para aproveitar as oportunidades e vencer os desafios

A expectativa por dias melhores movimenta as análises de especialistas em economia. Reformas na Previdência e nos processos políticos são esperadas como forma de desacelerar a crise e retomar o crescimento. Com maior otimismo nas manchetes dos jornais e entre os empresários, a tendência é de que o brasileiro em geral se sinta mais confiante e com maior disposição para consumir.

O varejo precisa estar preparado para tirar o melhor proveito possível desse bom momento que deve chegar nos próximos meses. Estar em sintonia com as demandas do cliente é o ponto de partida. As perfumarias devem deixar de ser pontos de venda (PDVs) para se transformarem em verdadeiros pontos de experiência. Para tal, é preciso repensar todos diversos tópicos da operação da loja, desde o formato e a divulgação da oferta de produtos e serviços, passando pelo layout e atendimento, até os instrumentos de monitoramento e controle das métricas de vendas e estoque.

A loja começa a exercer um papel mais amplo, como um ponto de encontro, de experiência e de relacionamento, não se restringindo mais à venda de produtos baseada na racionalidade e que pressiona a rentabilidade do negócio.

Veja a seguir as oportunidades em tendências de consumo:

  • Ofertas de produtos e serviços voltados para saúde e bem-estar como cosméticos livres de sulfatos e testes em animais;
  • Serviços como salão de cabeleireiro, manicure e pedicure, além de depilação, podem ser efereciso dentro da perfumaria;
  • Orientações de aplicação de produtos de tratamento de pele e maquiagem ou até mesmo de aparelhos elétricos como chapinhas, babyliss ou até inaladores, entre outros.

Foto: Shutterstock