Como enxugar os custos da perfumaria

Toda micro e pequena empresa trabalha com orçamento limitado, portanto, ter uma gestão de custos eficiente pode aumentar significativamente a lucratividade do negócio.

No entanto, em geral, as pequenas e médias empresas sofrem com desperdícios na operação que impedem uma maior rentabilidade. Os processos que mais geram gastos são aqueles que envolvem estoque. Entre os problemas mais comuns, estão: divergência de estoque; excesso de produtos; estoque obsoleto/vencido; má utilização do espaço físico para estocagem; falta de controle do acesso a produtos com alto risco de desvio.

Para evitar esses desperdícios, é preciso comprar bem, analisando o giro dos produtos, estoque mínimo e máximo. Além disso, deve-se entender o mercado, suas tendências e sazonalidades.

Outra medida necessária é estar atento a promoções de fornecedores, sempre procurando ofertas de produtos com boa saída, pois estoque parado é dinheiro parado.

Além de pontos-chave na operação de uma loja, outras medidas que envolvem aspectos corriqueiros podem ser aplicadas para escapar dos desperdícios, como evitar excesso de consumo de água e luz.

Na parte estrutural, pode-se encontrar uma maneira de utilizar melhor a iluminação natural, substituindo lâmpadas fluorescentes por lâmpadas de LED e criando um sistema de reaproveitamento de água para descargas dos vasos sanitários e limpeza da loja.

Com a equipe de vendas, é preciso investir em um processo de conscientização dos funcionários para apagar luzes, desligar computadores e não deixar a água correndo na pia enquanto se lava algo.

Contudo, antes de antes de tratar as despesas, o empresário precisa ter em mente qual o lucro desejado na operação e qual a expectativa de receita mensal. Para definir isso, ele pode buscar referências do setor e uni-las às suas percepções práticas.

Após estipular o lucro desejado, o ideal é centralizar todos os registros de entradas e saídas financeiras da empresa em um software, uma planilha digital ou até mesmo em um caderno.

Esse tipo de agrupamento é chamado de plano de contas e quanto menor a quantidade de categorias, mais fácil se torna a análise.

Quando se aprende a ter esse conhecimento, é possível criar metas de custo para uma das categorias da operação. Para definir esses objetivos, deve-se construir um histórico de um ou dois meses, analisar o comportamento de cada categoria e, com esta base, definir os novos parâmetros. Lembrando que são os custos que precisam se adequar às receitas e não o inverso.

Foto: Shutterstock