Cinco tendências que dominarão o mercado de beleza em 2021

Skin Tech 2.0 e Skin Fasting são algumas das tendências que explodirão no mercado de beleza em 2021

Não há mercado que inove tanto quanto o de beleza. A cada estação, novas moléculas, equipamentos e técnicas surgem para entregar ao consumidor uma verdadeira revolução. Confira o que especialistas apostam para o mercado de beleza:

Reforço protetor: à medida que as pesquisas descobrem que as pessoas ainda não sabem usar protetor solar de maneira correta, os estudos com novas moléculas buscam justamente potencializar a proteção do filtro solar por meio de ativos antioxidantes e antipoluentes. “Esses novos ingredientes são adicionados ao hidratante, com importante impacto para potencializar a proteção contra os danos da radiação solar. São moléculas como Alistin, Exo-P, SuperOx-C, além das Vitaminas C, B3 (Niacinamida) e E”, afirma a farmacêutica Mika Yamaguchi. “A suplementação também ganha papel de destaque para atuar como reforço nessa luta contra os danos do sol. Ativos como Bio-Arct (antioxidante), FC Oral (anti-inflamatório) e Glycoxil (antioxidante e antiglicante) podem ser usados”, completa Mika. “Apesar desse reforço ser importante, é fundamental o uso do protetor solar diariamente”, acrescenta a farmacêutica.

Cremes hiperpersonalizados: fazer um exame genético para saber o que realmente a pele precisa – e em que dose – é o suprassumo do exclusivo – e certeiro. “O seu creme não pode ser o mesmo da sua amiga. É por isso que na pele dela o resultado parece ser muito melhor que o seu. Isso não tem a ver com a ideia de que a ‘grama do vizinho é sempre mais verde’: existe, na verdade, uma explicação em seu material genético”, afirma o geneticista Dr. Marcelo Sady. No mundo, essa tendência vem sendo chamada de hiperpersonalização dos cuidados com a pele, ou Skin Tech 2.0.

“Através da saliva, os exames analisam o DNA da pele e apontam especificidades, como propensão à acne ou ao fotoenvelhecimento, nível de sensibilidade e reatividade e até mesmo a capacidade de cicatrização do tecido cutâneo. A vantagem é que eles ajudam o dermatologista a indicar o que é melhor para a pele de cada paciente”, conclui a dermatologista Dra. Paola Pomerantzeff.

Skin Fasting: a tendência agora é ser rápido, objetivo e eficiente, com o skin fasting, que ganhou força no período pós-quarentena e inclui três passos fundamentais: limpeza, hidratação e fotoproteção. Nesse sentido, o primeiro passo é lavar o rosto de manhã e à noite. “Lavar de manhã ajuda a retirar possíveis células mortas que se acumularam durante o sono e preparar a pele para a rotina da manhã: hidratante e protetor solar. À noite, a limpeza facial é essencial para retirar vestígios de maquiagem, protetor solar e resíduos de poluição”, diz a médica. Logo em seguida, chega-se à hidratação, etapa que pode concentrar também o tratamento anti-idade, quando alguns ativos com essa função são adicionados ao hidratante no mesmo produto.

Otimização facial: tratamento baseado no anseio de millennials, de querer abandonar as maquiagens e filtros, mas não se transformar em outra pessoa, a tendência do Litlift oferece resultado natural. “O tratamento mais adequado para essa otimização geral da face funciona por meio da combinação estratégica de preenchedores e neuromoduladores, todos injetáveis, e feitos em uma sessão de no máximo 30 minutos”, afirma o cirurgião plástico Dr. Mário Farinazzo.

Foco nas pernas: sem internação, é possível tratá-las. “Uma das técnicas mais usadas é o ClaCs (Cryolaser + cryoescleroterapia), que combina o laser transdérmico com escleroterapia com glicose, tratamento adequado para veias menos calibrosas e superficiais na pele. Também pode ser utilizada para vasinhos (as famosas telangiectasias)”, diz a cirurgiã vascular Dra. Aline Lamaita. Sem necessidade de repouso, é necessário apenas se abster de tomar sol por um período de 10 dias após cada sessão.

Lembre-se apenas de alertar sobre a importância de consultar um médico para a indicação precisa do tratamento para a pele.