13º salário e do FGTS injetam R$ 200 bilhões na economia

Com o dinheiro em mãos, consumidores aproveitam para realizar suas compras de final de ano, tornando o cenário favorável aos varejistas

O pagamento do 13º salário e a liberação de parte do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) deve injetar mais de R$ 200 bilhões na economia neste final de ano.

Há alguns sinalizadores do mercado importantes, como redução da taxa de juros, redução do desemprego, uma expectativa maior dos empresários em termos de melhorias e também da própria população. As medidas trouxeram para a população, melhor condição de consumo.

Com esse dinheiro em mãos, a população consegue dar um ‘fôlego’ para o comércio, uma vez que uma boa parte da população planeja utilizar o dinheiro extra com as compras do final de ano ou para sanar dívidas.

De uma forma ou de outra o resultado é positivo para o varejista. Os que vão comprar, movimentarão, automaticamente, as vendas. Já os que vão quitar débitos trarão aos lojistas a oportunidade de receber contas negativadas.

O Natal é a principal data comemorativa do varejo e deve movimentar R$ 35,9 bilhões em 2019, de acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), que aponta que o faturamento do varejo cresce em média 34% na passagem de novembro para dezembro.

A estimativa da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) para as vendas de Natal em 2019, na capital paulista, é de que o movimento apresente crescimento médio de 2%.